"Desperte sua força Interior com o Livro "Mulheres Extraordinárias"

Priscilla Couto

Mentora de Carreira

6 LIÇÕES QUE VÃO TE AJUDAR NAS PRÓXIMAS ENTREVISTAS

Você está de saco cheio de ir a entrevistas e não saber o que responder ao recrutador?

Então fique a vontade, e desfrute desse artigo!

Mas se você acha que o que vou falar aqui, não vale a pena, porque o recrutador faz sempre perguntas sem nexo, é bom você continuar lendo também, e anotar tudo que vou falar, porque meu amigo? Seu problema é grave rs.

Fiz um pesquisa no Linkedin questionando quais são as perguntas, que deixam o candidato mais desconfortável em responder e as perguntas foram:

  1.   Quais habilidades você destacaria?
  2.   Quais os pontos que você entende que precisa desenvolver?
  3.   Quais são seus sonhos?
  4.   Me conte os desafios que teve na sua carreira?
  5.   Me conte um orgulho que você tem?
  6.   Qual a sua pretensão salarial?

Ao analisar os mais de 130 comentários do post, tive a certeza do que venho acompanhando em minhas mentorias:

A maioria dos candidatos estão despreparados para uma entrevista.

 

Então como não temos tempo a perder e o meu intuito é te ajudar, vou detalhar para você como funciona um processo de seleção e o objetivo das perguntas, ok?

Pega papel e caneta, porque você vai ter muita coisa para anotar daqui para frente.

Como inicia a abertura de uma vaga

Quando o RH é acionado para abertura de uma vaga, é porque o Gestor do setor tem uma “dor” para resolver.

Nesse momento é feito o alinhamento do perfil da vaga: Habilidades técnicas, comportamentais, formação, idioma, conhecimento específico de algum sistema, carga horária, salário, atividades que serão realizadas e etc., e assim damos início triagem dos currículos.

Hoje devido a quantidade de #currículos que são recebidos, muitas empresas usam sistemas de inteligência artificial para a seleção e se o seu currículo não estiver “alinhado” com esse processo você acaba não sendo selecionado.

Agora você já sabe como ter um currículo que vai ser encontrado pela seleção automática, vamos nos preparar para a entrevista.

1a. Lição:  O que é importante fazer antes da entrevista?

Na pesquisa que fiz, cheguei à conclusão que 90% das pessoas não se preparam para os processos seletivos. Os 10% restantes, já foram mentorados meus e já sabem o que fazer. (só para descontrair, mas é verdade).

Não tem como, para nada nessa vida, você realizar sem planejamento, concorda? É assim para comprar um carro, casa, casar, arrumar uma namorada, viajar, transacionar de carreira, escolher um promoção e etc.

Então, porque no momento de participar de um processo seletivo será diferente?

2a. lição: Se prepare para o processo seletivo e quando digo em se preparar é você pensar em tudo:

  1.  Roupa de vai usar,
  2.  Caminho que vai fazer;
  3.  Estudar sobre o seu currículo;
  4.  Se alimentar bem e de forma saudável no dia anterior;
  5.  Dormir bem;
  6.  Estudar sobre a empresa.

Posso te contar um segredo: Às vezes o candidato chega no processo seletivo, sem saber qual é a vaga. Você até pode justificar, que tem enviado vários currículos, mas você precisa fazer um controle sobre isso, cria uma planilha e acompanha, ok?

E falo isso, porque se você logo no início, já sinaliza que nem sabe porque está ali, imagina a imagem que o recrutador já começa a ter de você.

Bom, já que a partir de agora você acompanha seus processos seletivos, e sabe qual a empresa que te chamou, você vai estudar tudo sobre ela. Busque todas as informações possíveis na internet, company page do Linkedin, facebook e site da glassdoor (antiga lovemondays). Análise expectativa do mercado, o que ela posta nas mídias sociais, o que falam sobre o clima, interaja no linkedin com funcionários da empresa e tente descobrir o máximo de informação.

Porque isso é importante? O recrutador pode te fazer perguntas do tipo: Porque você escolheu a minha empresa para trabalhar? E o que você vai responder?

Tudo bem, que você deve estar pensando assim: Priscilla está doida! Às vezes, vou a uma entrevista e nem sei qual empresa é. Tudo o que falei deve ser considerado, quando você conhece a empresa, certo?

Se você não sabe nada e essa pergunta rolar, não minta! Diga que você não sabia qual era empresa até aquele momento e mencione o que conhece, mas não minta!

3a. Lição: Tenha energia

Eu já fiz muitas entrevistas a pior coisa era receber um candidato sem energia e quando falo isso começa desde o aperto de mão. Não estou dizendo que você será reprovado por isso, mas causar uma boa impressão, nunca é demais.

Sei que o desemprego acarreta várias emoções ruins, baixa estima, mas você está em uma entrevista, que pode mudar a sua condição atual e você precisa dar o seu melhor. Não é para você querer aparecer, não é isso, mas apenas demonstrar o profissional que você é, com aperto de mão firme, olhos nos olhos, ombros eretos e pensamento positivo.

4a. lição: Seja transparente

Olha que loucura:

100% das pessoas nas entrevistas querem ser aquilo que o recrutador precisa e não elas mesmo.

Você sabe qual a chance disso dar certo: N.U.L.A e vou te dizer porque:

  1. O que ele pensa está na cabeça dele e você nunca vai conseguir saber;
  2. O que ele deseja pode ser uma pessoa com o perfil que não seja o seu e se você “mentir” demonstrando quem você não é, corre sério risco de ser aprovado e não conseguir entregar seus resultados, porque você será uma “farsa”.(isso é real e já vi isso acontecer)
  3. Você perde a #oportunidade de ser você, passa a agir da forma que você acredita que o recrutador deseja e não passa no processo. Justamente porque ele queria alguém como você e não um personagem que você acabou de criar.

Realizar um processo seletivo não é fácil, muitas vezes entrevistamos mais de 300 pessoas e não conseguimos fechar a vaga.

Não veja o Recrutador como seu inimigo. Do mesmo jeito que você, ele também tem uma meta a cumprir e simplesmente não consegue.

Não vão entrar no mérito sobre a realização dos processos, cada empresa escolhe a sua estratégia e como vai realizar a escolha dos seus colaboradores. Somos mais de 13 milhões de desempregados, é necessário ser feita uma peneira para que tenha o candidato mais adequado às suas necessidades.

Não cabe a mim ou a você, avaliar se é bom ou ruim, até porque estamos fora do ambiente, não sabemos quais são as metas que a empresa tem para atingir e não atuamos na área.

O que está em nossas mãos é se preparar para as etapas. Como já mencionei até aqui, temos 50% de chances de aprovação e precisamos estar preparados 100%, por isso estude sobre português, testes lógicos, excel, idiomas e etc. E não vem com a desculpa que não tem como se preparar porque tem sim.

Uma das formas é contratar a minha Mentoria e ter umas informações já curadas para você, com o caminho já trilhado e estratégias desenhadas de forma personalizada e poupar tempo ou você também pode zapear pelo youtube, Google e Linkedin e aprender.

 5a. Lição: Qual o objetivo de cada pergunta?

 A partir de agora, vou detalhar o objetivo de cada pergunta, que fiz no meu post do dia 01/07, mas antes quero dividir com você um dado muito importante.

85% das pessoas acham que essas perguntas realizadas pelo recrutador, são sem nexo.

Então, eu preciso avaliar habilidades técnicas + comportamentais + valores do candidato, é como saber de tudo isso se não perguntar.

Se o processo de seleção, fosse feito apenas baseado no currículo, 90% das pessoas não seriam contratadas. Sabe porquê?

Eu analiso mais de 100 currículo e perfis de Linkedin por mês e a grande maioria não diz nada, eu não consigo entender que vaga deseja, as atividades que foram realizadas, quais os resultados que a pessoa alcançou e etc. Então, a seleção é feita convidando você para a entrevista, que pode ser: coletiva, presencial ou Skype.

Cada vez mais eu ouço os candidatos falando sobre RH humanizado, empatia, contratar pelo brilho nos olhos e quando você tem oportunidade demonstrar isso ao recrutador, você não aproveita.

Então pare de jogar contra a você nas entrevistas e mude o seu MINDSET a partir da leitura desse artigo.

Vamos analisar as perguntas:

1.    Quais habilidades você destacaria?

O objetivo dessa pergunta e saber qual a sua auto avaliação.

O pior erro do candidato é não saber no que ele é bom.

Vamos pensar o seguinte: Todo mundo é bom em algo, mas se você não sabe em que, como uma empresa que não te conhece, vai te contratar por isso.

É necessário ter #autoconhecimento nesse e em todos os momentos da vida e posso te garantir que isso não é fácil. Sempre ouço dizer que é muito difícil falar de nós, e é mesmo. Até porque muitas pessoas consideram (crença limitante aqui) que ao falar de si, serão soberbos.

Entenda uma coisa: A primeira pessoa que precisa se valorizar, é você! Tenha sempre isso em mente.

Não sabe no que é bom, pegue uma folha de papel e liste tudo aquilo que você faz e que acha super legal, por exemplo: facilidade de comunicação, gerir conflitos, capacidade analítica para leitura de planilhas, boa memória, facilidade em dar treinamentos, bom relacionamento com as pessoas, criatividade, facilidade em falar outros idiomas etc. Na dúvida peça um feedback das pessoas que estão a sua volta.

2.    Quais os pontos que você entende que precisa desenvolver?

Fazendo a mesma linha de pensamento da pergunta anterior, aqui o que o recrutador quer saber o que você tem a desenvolver e como está fazendo para melhorar nisso. (foca nesse ponto aqui). Não existe resposta certa ou errada, o que é levado em conta é a sua atitude de reconhecer esse despreparo e buscar aprimoramento.

Do mesmo jeito que as habilidades, pegue uma folha de papel, liste tudo que você acha que precisa melhorar e ao lado descreva o que tem feito. Na dúvida pergunte às pessoas que convivem com você, de preferência a sogra ou o cunhado (risos), tenho certeza que eles bastante para contribuir.

3.    Quais são seus sonhos?

Para mim pessoas que vivem sem sonhos, simplesmente não vivem, apenas passam pela vida. Todo mundo tem o sonho de alguma coisa, pode ser conhecer lugar, comprar algo, conhecer alguém e etc. A ideia não é medir o seu sonho e nem tem resposta certa ou errada, o recrutador quer apenas conhecer você, e nada melhor do que saber o que a pessoa almeja na vida.

Quando fiz esse questionamento no Linkedin, uma conexão respondeu que tinha o sonho de alimentar as crianças na África e eu mencionei que o meu sonho, no momento era conhecer o Linkedin em SP. A pessoa logo perguntou, quem será que o recrutador contrataria.

Na minha visão e não medindo o sonho, o que cada um está fazendo para chegar ao seu sonho, já diz muito sobre o profissional. Se quem ter alimentar as crianças na África e hoje não está fazendo nada, isso não é sonho é apenas vontade. Porque ele não precisa viajar para ajudar, hoje você pode ajudar, procurando a ONG Médico Sem Fronteiras.

Agora no meu caso que quero conhecer o #Linkedin, se estou já contatando as pessoas, para que isso aconteça, já é uma diferença bem grande de atuação.

Preste atenção, quem em nenhum momento foi falado sobre a relevância do sonho, e sim da capacidade de realização dele.

A mesma coisa quando é questionado pelo seu orgulho? Há mais de 1 ano uma conexão me chamou inbox pedindo ajuda, precisava responder 02 perguntas e uma delas era: Do que você se orgulha? E a pessoa não sabia responder…

Fiquei me perguntando como uma pessoa pode pedir que outro responda sobre isso? Será mesmo que a sua vida é tão sem graça, que você não tem nada que se orgulhe?

Não se assustem, mais  20% das pessoas não sabem responder a esse questionamento, assustador não?

Pare agora tudo que está fazendo e me responda:

Porque você acorda todos os dias?

O que faz você sair de casa cedo para trabalhar?

Qual é o objetivo no mundo?

Duvido que seja apenas para se sustentar, porque se for por isso, você precisa mudar urgente o jeito de olhar a vida.

Somos mais do que pagadores de boletos!

4.    Me conte os desafios que teve na sua carreira?

Salvo bem poucas profissões, todo mundo encontra um desafio na sua trajetória, pode ser o relacionamento com o chefe, com a equipe, utilizando de novos sistemas, mudança de área, implantação de um novo projeto e etc.

Essa pergunta tem o objetivo de saber como você encara isso. Será que é fácil para você atuar com as mudanças? Você consegue ser flexível ou leva um tempo para se adaptar.

É mais uma pergunta que não existe certo ou errado, mas apenas para entender como você se posiciona no momento que sai da sua zona de conforto. Um dos maiores soft skills pedidos hoje é a questão da flexibilidade, até porque no mundo volátil que vivemos, onde a mudança é certa a todo momento, você conseguir trabalhar na mesma sintonia, é muito relevante.

5.    Qual a sua pretensão salarial?

Por incrível que pareça 30% das pessoas ficam sem saber o que responder, por medo de não ser o que a empresa que pagar e também por não saber o que o mercado está praticando.

Anota o que vou te falar: A empresa quando abre o processo seletivo, ela já tem noção da faixa salarial que pagará ao empregado. Lembra no início onde falei que às vezes o candidato, vai ao processo e nem sabe a vaga que é? Então o recrutador precisa saber, se o que você deseja está dentro daquilo que ele pode pagar, ok?

Ah Priscilla, mas essa seleção ele podia ter feito pelo currículo. Não poderia porque essa informação, não tem que constar (a não ser que seja solicitado). Se está no seu, volte volte lá no início do artigo e refaça a Lição 1. Mas voltando ao tema, entrevista não é barganha, entendo que as empresas, principalmente no RJ estou pagando muito pouco, mas não é dessa forma, que você vai conseguir a vaga.

Mas quanto falar? Anota o passo a passo:

  1. Analisar as suas despesas, definindo assim a sua faixa salarial;
  2. Entenda o mercado atual, tendo a consciência que no mínimo 30% do seu rendimento anterior foi reduzido;
  3. Use o site da glassdoor para entender o que o mercado e empresas estão praticando;
  4. E decida a sua faixa.

Não adianta você se candidatar para um cargo onde o salário, será menor do que você precisa para pagar suas despesas, isso gera uma insatisfação a curto prazo e você acaba jogando uma oportunidade fora.

Pense de forma estratégica e seja realista, se o salário anterior que você ganhava era muito alto e isso for questionado ao recrutador, seja firme, informe que você entende o momento atual do mercado, e que está com as suas contas ajustadas e por isso se candidatou a vaga.

6a. Lição: Seja você!

100% das pessoas querem ser aquilo que o recrutador busca, só se esquecem que quanto mais estiverem distantes de sua essência, mas difícil será.

Toda entrevista com o RH ou com o gestor é o momento que você demonstra todo o seu conhecimento e trajetória alcançada.

O desemprego é apenas um estado atual e não o final de tudo.

Toda a sua realização, legado e trajetória pelas empresas tem valor.

Então reflita sobre todos os resultados que alcançou ou ajudou a sua equipe a alcançar, lembre-se das idéias que deu, para mudar algum processo, tenha em mente quais pessoas ajudou a desenvolver. Tudo isso será relevante no momento da sua apresentação.

DICA BÔNUS:

Algumas inovações estão acontecendo no mercado, é uma delas é a ENTREVISTA INVERTIDA, já ouviu falar? Não, então se liga:

Entrevista invertida é quando você passa a ter o papel de entrevistador da empresa, durante 10 a 15 minutos você pode perguntar o que desejar sobre a empresa.

Que tipo de perguntas você faria?

Vai ser difícil se você não conhecer nada da empresa, se a vaga não tiver nada a ver com você, né?

E aí, qual a probabilidade disso dar certo?

Por isso que você precisa se preparar.

 

Conclusão:

Em um processo seletivo a parte que lhe cabe são apenas 50% e você não pode errar a mão nisso. É sua obrigação estar preparado, é você quer a vaga.

Você precisa e vai se destacar dos demais se colocar tudo isso que falei em prática. Mas só depende de você!

 

Priscilla Couto

Mentora de Carreira